"UMA MENTE EXPANDIDA PELO CONHECIMENTO JAMAIS RETORNA AO SEU TAMANHO ORIGINAL"

"UMA MENTE EXPANDIDA PELO CONHECIMENTO JAMAIS RETORNA AO SEU TAMANHO ORIGINAL"

sábado, 8 de fevereiro de 2014

A SERVIDÃO MODERNA


Para sustentar os famosos avanços tecnológicos, a maravilha da chamada globalização, que teoricamente traria um substancial aumento na qualidade de vida das pessoas, temos um paradoxo em nome da modernidade em que vivemos, perdemos a noção de direitos, de tempo, de valores e também sobre o que viria a ser uma boa qualidade de vida, a quem exatamente toda essa modernidade atinge e a quem ela beneficia?

Vivemos em tempos de contradições, sabemos cada vez mais sobre benefícios de uma boa alimentação, temos abundância de alimentos, acesso infinito a diversos tipos de mídia de comunicação, encurtamos as distâncias entre os continentes, entre os países, entre as cidades, entre as pessoas, sabemos dos benefícios de uma vida não sedentária, de esportes, do lazer, o conforto e a facilidade das novas tecnologias más....


SÓ OS SUPERMERCADOS BRASILEIROS JOGAM FORAM 13 MILHÕES DE TONELADAS DE ALIMENTOS POR ANO
Ao mesmo tempo nos alimentamos cada vez pior, comidas enlatadas, excesso de condimentos, alimentos com baixo valor nutritivo, com toda essa comunicação está se perdendo o contato “olho no olho”, dada a o ritmo frenético de nossas vidas modernas, as exigências sobre acelerar a produção, temos a percepção de que os anos estão “voando”, nossas refeições levam alguns minutos somente, queremos ganhar tempo, tempo para que exatamente não sabemos
 O sedentarismo, a obesidade, também em contradição com a fome que atinge milhões de pessoas, a escassez de alimentos, não só em lugares distantes confins da África, más sim em cidades ricas, estados ricos...Pra onde vai nosso mundo?
 
Há algumas décadas a conscientização política, mesmo em regiões rurais, fazia com que o povo ao menor sinal de desrespeito a seus direitos, ameaça de sua liberdade, escassez de alimentos, despertasse um sentimento de revolta, de levante as injustiças...
 
Eis que atualmente, parece que se perdeu esse senso, estamos diante de legiões de escravos, que não se deram conta da sua condição, ou preferem não enxergar a verdade, e isso dificulta, e muito, liberta-los, pois, não se pode libertar quem não sabe que é escravo (MITO CAVERNA), ou pior aquele que venera suas correntes e seu algoz.
 Ao contrário dos escravos da antiguidade, dos servos da idade média, ou dos primeiros operários das primeiras revoluções industriais, os escravos modernos deixam-se conduzir pelos interesses da classe dominante, das elites, aristocracias, plutocracias, teocracias...O lema atual é OBEDECER, PRODUZIR E CONSUMIR.
  
A riqueza que hoje se produz também se contrapõe a miséria dos explorados que sustentam uma minoria dominante, pesquisas apontam que menos de 1% da população mundial detém mais de 40% da riqueza global.
A ganância de poucos para que se produza sempre mais e mais, acaba por transformar o mundo numa grande fábrica, que produz para poucos consumirem.
DEZ EMPRESAS CONTROLAM QUASE TODO O CONSUMO MUNDIAL
O mais impressionante nesse bizarro contexto, é a passividade dos povos, da classe exploradas, dos escravos modernos, como exemplo maior é o ambiente onde moram as massas de trabalhadores, assemelham-se a prisões, cavernas, jaulas, cubículos onde residem com suas famílias, mas diferentemente de prisioneiros e escravos, o explorando ainda tem que pagar por sua jaula.

Mais especificamente no Brasil, o país dos inversos, das contradições, dos extremos, todo esses argumentos supra citados, vem somados por um crescente processo de banalização da educação, alienação política, frente a engodos, uma espécie moderna da política do pão e circo romano, temos por aqui: carnaval, futebol e novela (programas de TV em geral).
 
Nos 21 anos de ditadura militar, esse processo foi se construindo, pois de uma sociedade (mesmo que em uma minoria alfabetizada) com consciência política, escola pública de qualidade, era muito perigoso para o regime de exceção que vigorava, eis que a figura do professor, até então com status elevado, foi se desfazendo, seu salário não acompanhando a inflação, e suas condições de trabalho sem a devida estrutura.
 
E mesmo com a redemocratização, quem assumiu o poder percebeu que um povo alienado é mais servil, mais conformado, e altamente manipulável...Não só para interesses nacionais, bem como de nações como os EUA.
 
 Ao mesmo tempo com a massificação das mídias, é difundido que só há felicidade no consumo, adquirir produtos, o consumismo nos faz querer ser o que não somos, comprar o que não precisamos, para impressionar a quem não conhecemos, e tentarmos ser o que não somos...você é o que você tem, o que você veste, um mundo de aparecias.
 
Também nos foi transmitido valores errôneos, os brasileiros na sua maioria, conhecem mais de futebol do que de seus próprios direitos constitucionais, sabem tudo da novela, do reality show, más não exigem seus direitos num supermercado, num banco, numa delegacia, ou no próprio estádio de futebol, onde são tratados como gado, e mesmo assim veneram suas correntes...
Na revolução francesa, a fagulha que acendeu todo o levante do dia 14 de julho de 1789, foi o aumento do produto principal da alimentação francesa, o pão.
 
No período conhecido como Inconfidência Mineira os brasileiros que encontravam ouro deviam pagar o quinto, ou seja, vinte por cento de todo ouro encontrado acabava nos cofres portugueses.
 
Atualmente no Brasil, trabalhamos em média cinco meses do ano somente para pagar os impostos, que são em média 50%, 30% a mais do que os portugueses quando da exploração do ouro no período colonial...e ninguém se rebela...nada acontece.
 O pior problema nem são os impostos, e sim o retorno que temos para com o que foi pago, além disso temos que pagar tudo em dobro, pois os serviços públicos são precários, ai vem escola particular, plano de saúde, segurança, etc.
 
Somada a essa exploração, ainda temos que compactuar com os exorbitantes lucros dos grandes empresários, quer seja no setor automobilístico, agrário, bancário, dos importados, construção civil, onde o mesmo produto fabricado por aqui, e exportado, ainda assim, lá fora é vendido muito mais barato do que pro mercado nacional...




Toda essa exploração, a condição análoga à escravidão, há algumas décadas, certamente já teria ocorrido uma revolta, uma revolução, uma guerra civil, más devido aos anos e anos de alienação, de inversão de valores, estamos passivos admirando e louvando nossas correntes, quer sejam políticas, quer sejam religiosas...
 
 Depois do exposto fica a grande dúvida:

Trabalhamos para viver ou vivemos para trabalhar?
 
Somos livres escolhemos nossos governantes ou na verdade somos escravos, e tanto faz um ditador, um rei, um presidente, a direita, a esquerda, pois sempre serviremos a um senhor, e nada nem ninguém conseguirá mudar nossa sociedade mercantilista capitalista?




domingo, 22 de dezembro de 2013

VOCÊ SABE PARA QUEM ESTA REZANDO?

Na concepção da palavra todas são seitas (latim secta= seguidor, seguir)  
Religião desde os primórdios é considerado um tema delicado, muitos já perderam sua vida somente por fazer indagações, questionamentos sobre dogmas, o próprio Sócrates, há 2500 anos, foi condenado à morte por supostamente não acreditar nos deuses, e por corromper a juventude (ele incitava os jovens a questionar tudo e todos).
Entretanto, ao longo da história muitos se atreveram questionar, pois caso contrário estaríamos ainda sobre a mão de ferro da santa inquisição.

Mesmo atualmente, pleno século XXI, questionar, desmitificar, apontar contradições, ser apostata (aquele que se afasta de alguma religião) ou mesmo ser ateu ou agnóstico, ainda é um ato que choca as pessoas, em sua maioria, pois está tão enraizado em nossa formação cristã portuguesa, que mesmo na era da informação disponível a um click, ainda causa perplexidade.
 
Nesse bojo resumi as postagens sobre religiões, dogmas, mitos e crenças, antigas e contemporâneas (todas estão em link, só clicar):


A gnose liberta, nesse post está o famoso documentário Zeitgeist, sendo dividido em 3 partes, sobre religião, guerras e política mundial, com a parte religiosa na versão dublada, e por fim o documentário completo.


Na história bíblica de Yeshua ou Jesus, há uma lacuna entre seus 12 e 30 anos, sendo que diversas teorias tentam preencher esse lapso.
Surge uma em que Jesus teria ido para o Oriente, para a Índia, buscar conhecimento, e com esse sincretizou o budismo e doutrinas orientais para “criar” uma nova religião, o cristianismo.
  
 
 Até pouco tempo, em termos históricos, achávamos que o Sol girava em torno da Terra, e que éramos o centro do universo, com o passar dos séculos, com o desenvolvimento do conhecimento, a cada nova descoberta nos damos conta de que nossa presença no planeta é insignificante, se compararmos a grandeza do desconhecido universo.

 
O lado místico de Jesus não se pode questionar, entretanto, a parte mítica, a construção do de seu mito, está cercado de contradições, sincretismo, e usurpação, o Jesus histórico ainda é muito difícil de se analisar, por falta de documentos, entretanto faz-se mister tecer alguns comentários desmitificando a figura que foi criada minuciosamente através dos séculos.
  
 
Muitos conhecem a história bíblica do Gênesis, Adão e Eva, entretanto poucos sabem que Eva não foi a primeira mulher de Adão, e sim Lilith.
 Criada por Deus junto com Adão, que o abandonou, partindo do Jardim do Éden por causa de uma disputa sobre igualdade dos sexos, passando depois a ser descrita como um demônio.


Figura muito presente na cultura judaico-cristã, e também presente em muitas religiões, que se baseiam no binômio bem versus mal, sendo que todo o mal do mundo só existe pelo fato desse ser corromper as mentes fracas...o tinhoso, o demo, o cramunhão, belzebu, satanás, lúcifer, a besta 666 ou simplesmente o diabo....
Só que essa personificação do mal, nem sempre existiu da forma que conhecemos hoje, historicamente, foram feitos inúmeros sincretismos, incorporando a essa figura do mal, elementos de outras mitologias, pois deuses ou espíritos malignos estão presentes em muitas culturas.


Ao longo da história da humanidade o Homem sempre buscou auxílio para seus problemas, ou explicações para cousas do seu cotidiano, as quais ele não tinha como explicar.
Se estava muito frio, rezamos para o Deus do Sol, se não chove, para o Deus da chuva, numa peste que atormenta seus pares, rezamos para o Deus da Cura, para ganhar a guerra, Deus da Guerra, se algum Deus está descontente, façamos oferendas, sacrifícios, e assim segue...
E com o passar dos milênios, foi se nomeando Deuses e mais Deuses, alguns foram só trocando de nomes, com o sincretismo.


Em 1974, após o uso de uma substancia alucinógena, mescalina, entrou em contato com a Cultura Racional, um grupo conhecido por divulgar as ideias escritas pelo carioca Manoel Jacintho Coelho, líder da doutrina explicada no livro Universo em Desencanto (espécie de Bíblia).
O que Tim descobriu, foi um fato que corriqueiramente acontece com milhares de pessoas, tanto no passado, quanto no presente, pessoas em busca de “ajuda”, de solução para seus problemas, veem na religião e em seus líderes, um caminho, más são explorados financeiramente, sendo que poucos “acordam” e se libertam desse estelionato.


A ideia de que alienígenas nos visitaram e ajudaram o ser Humano a se desenvolver, é um tema que a cada dia ganha novos adeptos, pois se pensarmos, de meros coletores primitivos, passamos a fazer coisas notáveis: pirâmides, estruturas complexas, escrita, conhecimento astrológico, conhecimento de medicinal, entre outros.
E muitas evidências vem dos textos sagrados, a própria Bíblia relata em várias passagem a visita e o contato com seres "superiores", também existem relatos em textos hindus, como a Mahabharata.

 
Religião Hindu/Persa que remonta há quase 3500 anos, sendo Mitra o Deus sol, filho de uma virgem, é o filho de um deus supremo, influenciou o cristianismo, que deste usurpou datas e comemorações, como seu nascimento a 25 de Dezembro e seu dia sagrado o domingo (o dia do sol, Sunday).

 Zoroastro, e seu deus supremo e único, influenciou tanto o judaísmo, por consequência o cristianismo, e também o islamismo.
A noção de bem versus mal, um ser supremo que é desafiado por um inimigo poderoso, a personificação do mal, que tenta os homens e os leva a se corromperem, que é sinônimo de ganância, de trevas, a ideia de livre-arbítrio, na salvação e ressurreição, em anjos da guarda, o juízo final, onde retornarão ao paraíso os escolhidos, com punição para os maus, e recompensa para os bons, todas são originárias do Zoroastrismo.

 
 Estão em diversos canais de mídia, TV, Rádio, jornais, usam camisa manga curta com gravata (estereótipo do vendedor), vendem promessas e retornos financeiros concedidos por Deus/YHWH/Jesus, sob determinadas condições, a título oneroso, é a chamada Teoria da Prosperidade.
Como surgiu, foi se modificando ao longo do tempo, e desembarcou no Brasil, para alegria e riqueza de alguns espertos.

 
Entre os anos 850 e 858 começou a circular na Europa, histórias sobre um Papa do sexo feminino, sendo considerada para alguns, uma mera lenda, para outros, um dos maiores segredos da Igreja Católica, permanecendo até hoje envolta mistérios.

Faremos algumas indagações, o que é a verdade? O que é a real? O que é sabedoria? O que é conhecimento? Como ter certeza que algo que nos é contado, realmente foi o que aconteceu?
Sócrates atreveu-se a questionar, Platão o cita em seu famoso e atual mito da caverna, onde Sócrates explica através de metáfora e suposições, os medos, as ilusões e uma proposta nova de realidade.

 
De onde afinal viemos? Se tirarmos a religião com seu criacionismo, oriundo de Deus, mesmo seguindo a teoria da evolução de Darwin, algumas lacunas não se completam, pois por que somente os homens evoluíram? As outras espécies que são muito mais antigas permaneceram estagnadas, como os crocodilos, que conviveram com os dinossauros, ou seja, tiveram milhões de anos para evoluírem, conforme Darwin, e isto não aconteceu.
Temos aqui um impasse, porém uma teoria encaixa-se perfeitamente, segundo Erich VonDaniken, com seu Eram os Deuses Astronautas, consolidando-se com a tradução das placas sumérias por  Zacarias Sitim,  na qual relevou a fascinante cultura dos Sumérios, a mais antiga civilização conhecida.

Em 1849 foi descoberto diversos tabletes de argila, com inscrições cuneiformes sumérias, sendo a primeira civilização do mundo, aparentemente influenciaram outros povos, refletindo tanto na mitologia grega, quanto na hebraica.
Alguns textos relatam a Epopeia de Gilgamesh,  sobre a criação do homem, briga entre irmãos, dilúvio como punição, a arca para salvar animais e família, entre outras coincidências com passagens bíblicas (por volta de 3 mil anos depois dos sumérios).

Muitas datas são comemoradas sem que as pessoas saibam o que realmente originou aquela celebração, ou na maioria dos casos, comemoram uma cousa que na verdade tem outro significado, sendo que com o passar dos anos a mídia e o consumismo alteraram drasticamente o real significado de muitos feriados.
  
 O preconceito é algo que as vezes está tão enraizado nas pessoas que elas nem sabem ô por que pensão de um determinado jeito.
Se tema for religião afrodescendente então o estigma e o preconceito vem desde a época colonial, com resquícios até os dias atuais.

 Esse é um dos mais poderosos símbolos que já existiu, ao meu ver é um sinônimo de conhecimento e libertação, algo que existe há 5.000 anos, sendo poderoso até os dias atuais.
Olho de Hórus, é uma referência direta às fontes mais antigas (egípcias) dos conhecimentos ocultistas, esotéricos e alquímicos, sendo que, em última análise, simboliza poder, domínio, riqueza e vida no além. Para o ocultismo, rosacruciano, cabalista, teosófico e gnóstico, entre outros.

Moisés de Michelangelo
 Pode se fazer uma analogia a um borrão num quadro, pois cada um vê aquilo que lhe convêm.
Como livro de auto-ajuda, sabedoria e fé, não há questionamentos, entretanto, como o livro foi escrito por volta do ano 1000 a.C., de contos orais que remontam há pelo menos mais mil anos antes, aparentemente escrita por diversos autores, em diversas datas diferentes.
Numa análise mais crítica há diversas contradições, erros históricos e conflitos sobre os mesmos relatos.

 Ao decorrer da história, em se tratando de religião, diversos personagens sofreram alguma alteração em sua origem ou em seu significado, para o bem ou para o mal, dependendo do interesse que estava em jogo, nesse post segue três figuras muito conhecidas do cristianismo, Satanás, Lúcifer e Demônios.